Plástico: O Grande Indutor das Inovações na Indústria do Século 21

  • Juliana Deotti Carvalho
  • Indústria
  • Nenhum comentário

É quase impossível pensarmos nossa vida cotidiana sem a presença dessa que é uma das grandes invenções do século 20, o plástico. A palavra é derivada do grego plastikós, flexível, adequado à moldagem – e define qualquer material capaz de ser modelado com calor ou pressão para criar outros objetos. Antes da criação do plástico, porém, os materiais moldáveis mais utilizados eram a argila (cerâmica) e o vidro, que, além de pesados, são mais frágeis. 

Mas, de onde vem o plástico? Como sabemos, ele não é um recurso natural, ou seja, não está presente de forma pronta na natureza. O material como o conhecemos hoje surgiu progressivamente, após contribuições de inventores de diferentes partes do mundo, tendo sua origem nos polímeros naturais como o látex e a celulose.

Para entender melhor sua estrutura, o plástico é composto de carbono, elemento essencial pela capacidade de fazer diferentes combinações químicas. Diferentes entre si e com tantas variações, os plásticos podem ser divididos em duas categorias: 

  • Termofixos
    São rígidos e duráveis. Sofrem transformações químicas com o calor e pressão e, após resfriado e endurecido, não podem ser remodelados. Por serem irreversíveis, são muito utilizados em bens duráveis, como peças de automóveis, aviões e eletrodomésticos.

  • Termoplásticos
    Tornam-se maleáveis com o aquecimento, com capacidade de se fundir. Mesmo sofrendo transformação física, não alteram sua estrutura química e, por isso, podem ser reaproveitados em novas modelagens. São recicláveis.

Ecologicamente Melhor

Leveza, durabilidade, versatilidade e custo baixo são características importantes do plástico, que o tornaram um dos materiais mais utilizados no mundo, em substituição a tantos outros. Por outro lado, estes mesmos atributos acabaram deixando  o material com falsa imagem de vilão.   

Na verdade, o problema não está no plástico em si, mas na falta de conscientização e má gestão dos resíduos sólidos. Tanto que ele nasceu com o propósito de substituir materiais de origem animal, como marfins, cascos de tartarugas, chifres, corais e madrepérolas, antes empregados na confecção de utensílios pessoais e decorativos, assim como joias e bijuterias. 

Parte da imagem negativa em relação ao plástico se deve à origem fóssil e não renovável da maioria, o que contribuiria para agravar as mudanças climáticas. Porém, uma análise mais aprofundada sobre os ciclos de vida do material não sustenta tal visão. Alguns estudos demonstram, por exemplo, que seu impacto no meio ambiente é benéfico, e permite, inclusive, a redução do consumo de energia e das emissões de gases associados ao efeito estufa (GEE).

Para entender melhor a afirmação, de acordo com Platics Europe e American Chemistry Council, caso os plásticos fossem substituídos por materiais alternativos em tudo o que é produzido, o gasto energético aumentaria cerca de 57%, e as emissões de GEE 61%. Com base nestas informações, estima-se que em 2020 os benefícios de redução de emissões com o uso de plástico seja 9 a 15 vezes superior a suas emissões de produção e gerenciamento de resíduos. O que significa que a relação emissão versus benefício ainda é extremamente positiva. 

Mil e Uma Utilidades do Plástico 

Por todas as suas propriedades, o plástico permitiu ampliar as possibilidades de aplicações em larga escala pela indústria, que muito contribuiu com o desenvolvimento da sociedade. Ele se tornou presente em todas as atividades econômicas e em tudo que existe à nossa volta. 

O sucesso desse polímero sintético ocorreu graças a soluções inovadoras que ele trouxe para problemas relevantes no mundo todo, beneficiando tanto quem produz quanto quem consome. Confira a importância de sua utilização e alguns dos diversos segmentos beneficiados: 

  • Embalagens 
    Têm função proteger, preservar, prolongar a vida dos alimentos, além de servir como comunicação e transporte de produtos. Outra função importante é garantir a segurança alimentar. 

  • Construção Civil
    O setor é responsável por cerca de 20% do consumo mundial de material plástico. Ele está presente em parte das estruturas, assim como demais sistemas complementares como tubos e conexões. Na Promaflex, os polímeros compõe filmes e mantas de proteção, que auxiliam na produtividade e no combate ao desperdício de materiais de obras de reforma e construção, entre os quais Procaixilho, Promapiso, Providro, entre muitos outros.

  • Automotivo
    Os plásticos atualmente correspondem a mais de 50% do volume e menos de 10% do peso total dos veículos. Após o uso do material, eles se tornaram mais leves, resistentes e seguros. O setor também atendido pela Promaflex ainda conta com filmes de proteção fabricados com plástico, que garantem a integridade das peças desde a fabricação à exposição nas concessionárias.

  • Saúde
    Grande avanço para a medicina, as resinas plásticas tem inúmeras aplicações em itens extremamente importantes. Entre os quais, podemos citar curativos em geral, máscaras, bolsas de sangue, cateteres, seringas, tubos, luvas, próteses, suturas, sem contar os stents – que ampliaram a expectativa de vida das pessoas, entre muitos outros. Para a área da saúde a inovação mais recente da Promaflex foi o Promasafe – filme de proteção e segurança bactericida e antiviral, especialmente desenvolvido para o combate do vírus SARS COV-2/COVID-19. 

  • Eletroeletrônicos
    O setor responde por 5,5% do consumo de plástico. Graças à versatilidade do material, foi possível desenvolver tecnologias que favoreceram a redução do peso e do consumo de energia e a miniaturização de aparelhos. Este segmento também conta com soluções da Promaflex, que produz filmes para proteção das peças durante a fabricação, transporte e instalação, como tampos de fogões, itens de aço inox das geladeiras, por exemplo. 

Sustentabilidade Também Passa Pelo Plástico 

Os plásticos são aliados da sociedade moderna e podem contribuir para a solução de diversos problemas do ponto de vista tecnológico, ambiental e social. O desafio é o pós-consumo. Por isso é necessário incentivar cada vez mais a reutilização e a reciclagem do material de forma eficiente e em maiores quantidades, pois as possibilidades são inúmeras. 

Com foco na inovação e investimentos significativos em processos e proteção ambiental, grandes avanços na sustentabilidade dos plásticos continuam sendo feitos. Eles abrangem o uso de matérias-primas de base biológica (resina verde) ​​para a produção de polímeros, materiais inovadores e projetos para reciclagem. Tais ações permitem o fornecimento de soluções necessárias em um mundo em constante mudança.

Autor: Juliana Deotti Carvalho

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil